quinta-feira, 21 de março de 2019

Alunos da Faculdade Santa Marcelina desenvolvem coleções que destacam a diversidade



As coleções reproduzem a força e a representatividade da cultura negra no País e no mundo, por meio de peças que fazem referência a importantes ícones da luta social


A moda é capaz de apresentar muito mais do que roupas. Os desfiles contam histórias, apresentam lutas e protestos nas passarelas. Marco Aurélio Alves, aluno recém-formado em Moda pela Faculdade Santa Marcelina, reconhecida pelo pioneirismo no estudo acadêmico da área, foi um dos destaques do tradicional Fórum Moda 2018. A aluna Kassia Balbino, também recém-formada no mesmo curso, mostra em seu trabalho as relações sociais da mulher negra no Brasil.

A coleção de Marco Aurélio, denominada Desobediência Civil Negra: Moda como iconográfico e ativismo micropolítico, tem o objetivo de articular a roupa como ferramenta de protesto. De acordo com o aluno, a coleção visa a mostrar sobre como entender-se negro em uma sociedade estruturalmente racista e genocida, a engajar-se na luta e reagir politicamente como única forma de sobrevivência. “A partir de exemplos de desobediência de Rosa Sparks e Martin Luther King, apresento por meio dessa coleção discussões e uma intervenção de âmbitos sociais, a fim de mostrar o indivíduo negro como protagonista da sua própria narrativa de vida e luta por seus direitos”, conta.



As peças estão pautadas em dois estágios: “O genocídio do negro brasileiro” e “O negro revoltado”. Desde a modelagem, escolha dos tecidos, das cores e dos cortes, até as maquetes têxteis, todo o processo foi cuidadosamente trabalhado para representar o atual contexto do afro-brasileiro. “O vermelho (cor chefe da coleção) e as cores branco, off white, bege, verde musgo e preto estão associadas à luta, à branquitude, ao desgaste, militarismo e à pele negra retinta”, comenta o aluno.

A estudante Kassia Balbino, em seu trabalho, denominado Praesentia (em português, significa Presença), mostra que a contextualização histórica é importante para o desenvolvimento de uma coleção. O objetivo é mostrar a representatividade da mulher negra no século XVIII e, atualmente, por meio de um recorte que faz referência às mulheres históricas, como Dido Elizabeth Belle e Chica da Silva. “O tema carrega consigo a delicadeza como um elemento de força ímpar, criando um visual abastado que comumente não é associado às pessoas negras, colocando assim o negro no centro da história”, explica Kassia.

Para Simone Mina, coordenadora do curso de Moda da Faculdade Santa Marcelina, desenvolver o trabalho de conclusão de curso é um dos momentos mais esperados pelos alunos. “A reta final do curso permite que os formandos se expressem esteticamente por meio do TCC. Mas, principalmente, proporciona a ampliação dos horizontes e uma contribuição reflexiva e conceitual da moda, a fim de que se destaquem no mercado de trabalho”, afirma a professora.

Sobre a Faculdade Santa Marcelina

A Faculdade Santa Marcelina é uma instituição mantida pela Associação Santa Marcelina – ASM, fundada em 1º de janeiro de 1915 como entidade filantrópica. Desde o início, os princípios de orientação, formação e educação da juventude foram os alicerces do trabalho das Irmãs Marcelinas. Em São Paulo, as unidades de ensino superior iniciaram seus trabalhos nos bairros de Perdizes, em 1929, e Itaquera, em 1999. Para os estudantes é oferecida toda a infraestrutura necessária para o desenvolvimento intelectual e social, formando profissionais em cursos de Graduação e Pós-Graduação (Lato Sensu). Na unidade Perdizes os cursos oferecidos são: Música, Licenciatura em Música, Artes Visuais, Licenciatura em Artes Plásticas e Moda. Já na unidade Itaquera são oferecidas graduações em Administração, Ciências Contábeis, Enfermagem, Fisioterapia, Medicina, Nutrição e Tecnologia em Radiologia.


Forminhas de doce para formatura

domingo, 16 de dezembro de 2018

Agilitá apresenta seleção especial para o Réveillon

É só dezembro chegar que a busca pelo look para o Réveillon já começa. A marca carioca Agilitá apostou em peças fantásticas tanto para aquelas que querem seguir no tradicional all white, quanto para as que preferem inovar e começar o ano colorido.

Vestidos, shorts, saias, macacões e tops ganham uma modelagem mais ajustada com muitos detalhes, desde babados, bordados, renda a decotes especiais e aberturas estratégicas. O branco aparece também em um mix de texturas, afim de dar um toque especial aos looks. A estampa floral também pode ser uma ótima opção, leve e com a cara do verão, as peças aparecem nas combinações de verde e azul, todas com um toque de branco. 

Destaque para a linha Agilitá Fabulous com peças que transbordam luxo e elegância com um toque sensual. Brilho e transparência marcam os looks desenhados pela estilista Paula Aziz.

A coleção pode ser encontrada em todas as loja da marca - São Paulo e Rio de Janeiro - e em seu e-commerce próprio.



www.agilitafashion.com.br
 




sábado, 10 de novembro de 2018

Marca de moda infantil ZIPPY inaugura duas lojas no Brasil


Brenno Kuusberg - Foto Juan Guerra

Fundada em Portugal e presente em cerca de 40 países, por aqui, abriu seus dois primeiros pontos de venda no Morumbi Shopping e no Shopping Tamboré


A ZIPPY é uma rede portuguesa de moda infantil que se consolidou como uma marca internacional entre as mais conhecidas em seu segmento, atualmente está presente em cerca de 40 países. Em novembro, inaugurou suas primeiras lojas em solo brasileiro, no Morumbi Shopping, Zona Sul de São Paulo, e no Shopping Tamboré, na região metropolitana. Os novos endereços dão continuidade à sua expansão na América Latina, já possui lojas na Venezuela e na República Dominicana.

Especializada em bebês e crianças, o catálogo de produtos ZIPPY faz parte da vida de pais e seus filhos desde o nascimento até a pré-adolescência. Uma marca já bastante reconhecida e desejada pelas famílias que viajam pelo mundo com os pequenos e gestantes preparando o enxoval.

A marca chega ao Brasil com a certeza que os consumidores vão se identificar e receber o mundo ZIPPY de braços abertos. As lojas de São Paulo e de Bauruei são apenas as primeiras dos planos para o futuro próximo.



ZIPPY

Website: pt.zippykidstore.com
Facebook Brasil: https://www.facebook.com/zippybrazil
Instagram: www.instagram.com/zippykidstore
Youtube: www.youtube.com/user/zippyportugal

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

ÁGUA DE COCO Por Liana Thomaz faz a conexão Praia-Sertão no Veste Rio

Acompanhando o movimento dos ventos do nordeste, sentido Praia-Sertão, ÁGUA DE COCO Por Liana Thomaz lança seu olhar sobre a cultura e a arte nordestina, voltando no tempo e retratando os primeiros vestígios de expressão artística e comunicação de nossos ancestrais em seus prints. Pinturas rupestres e referências como fósseis de peixes ou ainda os canyons do xingó e suas formações rochosas espelhadas nas águas do rio São Francisco resgatam histórias do passado. Na cartela de cores vermelho ferrugem, mostarda, turquesa, verde selva e o roxo berinjela são os protagonistas.

Com shapes rejuvenescidos e contemporâneos, as peças que se destacam são os tops faixa, hot pants e maiôs com formas mais secas e ajustadas ao corpo. Um ponto importante da coleção é a preocupação com a versatilidade, percebida em diversas peças com mangas ou cintos removíveis e modelos reversíveis. Outro destaque são as mangas amplas, maiôs e bodies que podem ser usados como blusa, conectando a moda praia à cidade, além dos principais aviamentos feitos com franjas, patches de LYCRA® e tecido cortados a laser, acabamentos em crochet, bordados manuais ou resinas tartaruga.





A coleção Praia-Sertão será apresentada no Veste Rio, feira que acontece entre os dias 17 e 21 de outubro, mas chega às lojas da marca e-ecommerce apenas em 2019.


Fonte: 

ÁGUA DE COCO por Liana Thomaz
@aguadecoco
www.aguadecoco.com.br




quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Confira a programação do Projeto Estufa durante o SPFWn46

Daniela Thomas

Iniciativa tem objetivo de revelar novas formas de criar, produzir e distribuir, além de provocar diálogos e reflexões; ingressos já estão disponíveis

O Projeto Estufa, que nasceu e foi nutrido pela vocação e crença do São Paulo Fashion Week em conectar iniciativas e movimentos dedicados a pensar e criar agora o futuro que queremos, acontece em 2018 simultaneamente à edição 46 da plataforma de moda, de 22 a 26 de outubro, ocupando o Farol Santander e o ARCA, na Vila Leopoldina.

Apresentado pelo Santander, a iniciativa conta com patrocínio da Jeep, C&A, Movimento Sou de Algodão e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e promove a reflexão a partir de conteúdos artísticos, estéticos e de conhecimento com uma agenda que inclui exposição, desfiles, masterclasses, talks, feira de startups e labs.

"Evoluir, apontar caminhos, somar. Nos desafiamos, nos arriscamos, e sempre nos colocamos em terrenos desconhecidos, por isso sempre Novos. O SPFW tem isso em seu DNA e criamos o Projeto Estufa, como uma evolução de inúmeros exercícios e iniciativas, justamente para reunir e proporcionar a troca entre pessoas e iniciativas que compartilham do nosso mindset", comenta Paulo Borges, idealizador do SPFW e diretor criativo do Projeto Estufa.

Daniela Thomas é a criativa convidada como inspiradora desta edição do Projeto e concebeu a reunião de 17 artistas contemporâneos que ocuparão o ARCA com instalações provocativas e irreverentes.

Na mostra, reconhecidos nomes da arte contemporânea como Rochelle Costi e Fernando Velazquez convivem com jovens criadores cujos projetos acontecem fora das galerias, ou que só acontecem quando o público os ativa. São artistas que experimentam com tecnologias e materiais inéditos, criadores cujas obras desafiam nossos modos de estar em público, ou que criam obras frágeis, que espelham a fragilidade do nosso meio ambiente. Alguns trabalhos são desenvolvidos durante o período da mostra, até mesmo dentro do ateliê do criador, inteiramente transportado para o espaço.

"Nessa curadoria fazemos uma provocação sobre os caminhos da criação artística que se avizinham e que borram classificações e identidades, instigando as parcerias e a experimentação, sem medo." comenta Daniela Thomas.

Conceitos e questões colocados na exposição são pontos de partida para temas de conversas, encontros e workshops da programação, que também apresenta desfiles de sete marcas que se conectam com os pilares do Projeto Estufa e passam a integrar o lineup da temporada SPFW N46.

Olivia Merquior, diretora do Centro Brasileiro de Estudos em Design de Vestuário, e Augusto Mariotti, diretor de conteúdo do SPFW, integraram o time de curadores que elegeu Aluf, ÃO, Helena Pontes, Korshi, Lucas Leão, MIPINTA e VHM para apresentarem suas coleções na passarela.

“Selecionamos marcas capazes de trazer novas perspectivas e soluções para o mercado de moda nacional e internacional. Marcas sem medo de apostar numa criatividade lúdica e transformadora." afirma Augusto. Olivia Merquior acrescenta que estes estilistas acreditam na moda como importante elemento político, que reorienta, comunica, reivindica e mobiliza. “São jovens capazes de reinventar a realidade presente, que abrem caminhos para o futuro. Engajamento, liberdade criativa, pensamento prospectivo e permeabilidade: esses são os principais alicerces de nossas escolhas".

Os desfiles acontecem entre os dias 23 e 25 de outubro, em meio a intensa programação de masterclasses, no Farol Santander, pela manhã e talks, labs e feira de startups com curadoria do SEBRAE no ARCA, no período da tarde. Questões como biomimetismo, inteligência artificial, sustentabilidade, o design como solução para desafios contemporâneos, neurociência, economia circular, tecnologias vestíveis, futuro do trabalho e novas narrativas compõe o espectro das discussões propostas na curadoria de Graça Cabral, co-fundadora do SPFW e idealizadora do Projeto Estufa. Entre os convidados Fred Gelli, Alvaro Machado Dias, Eco Moliterno, Oskar Metsavaht, Mana Bernardes, Marko Brajovic, Isabel de Luca e Renata Martins.

É possível participar de toda a programação adquirindo ingresso pelo site http://www.tudus.com.br/evento/projetoestufa. O valor varia de R$ 300,00 (R$ 150,00 meia entrada) o dia e R$ 800,00 (R$ 400,00 meia entrada) para todos os dias. A experiência Projeto Estufa dá acesso às masterclasses no Farol Santander e exposição, desfiles, talks, feira de startups e labs no ARCA. Todos os espaços são sujeitos à lotação. Confira abaixo programação completa.

Clientes Santander terão o benefício de pré venda exclusiva, com 30% de desconto entre os dias 10 e 13 de outubro.

Projeto Estufa 23 a 25 de outubro.

Local: ARCA – Av Manoel Bandeira, 360 – Vila Leopoldina – São Paulo / FAROL Santander - Avenida Torres de Oliveira, 76, Jaguaré.

Classificação etária: 18 anos

Exposição Projeto Estufa

Artistas: Aleta Valente; Anais Karenin; Cal Kielmanowick; Fernando Velazquez; Fred Pinto; Lina Lopes; Mari Nagem; Marina Kosovski; Renato Custódio; Álvaro + Oda; Mau Maker; Pedro Gallego; Renata Melo; Rochelle Costi; Rodrigo Moreira; Sara Não Tem Nome; e Simone Barros.

Curadoria: Daniela Thomas

Confirma programação completa em www.ffw.com.br/projetoestufa



quarta-feira, 7 de março de 2018

Isis Bataglia estrela campanha de inverno/18 Maria Valentina


Isis Bataglia foi escolhida para estampar a campanha de Inverno 2018 da Maria.Valentina. Em cliques do fotógrafo Fabio Bartelt e styling de Pedro Sales, a coleção intitulada de Intensos Instantes, foi inspirada no Grupo Frente, movimento artístico construtivista que promoveu a integração entre as técnicas artesanais e uso de formas geométricas.

A aposta da marca foi explorar a arte como um campo aberto à experiência e à indagação, à independência e individualidade, uma grande celebração da arte que abraça e veste o corpo.

A coleção Outono Inverno 2018 estará disponível para venda no e-commerce da marca e nas melhores multimarcas do Brasil a partir de 07 de março.










MARIA VALENTINA
www.mariavalentina.com.br
@MARIAVALENTINAOFICIAL



Ficha Técnica:
Modelo: Isis Bataglia
Stylist: Pedro Sales
Beleza: Amanda Schon
Fotógrafo: Fabio Bartelt
Vídeo: Cabelo
Produção: Mangaba

domingo, 25 de setembro de 2016

As sandálias tratoradas fazem o verão da Dijean

As solas tratoradas aparecem com força em diferentes modelos de calçados: das sandálias típicas dos anos 1990 às flatforms com tiras, a pegada é misturar o minimalismo com um design marcante. A Dijean embarca nessa onda e apresenta diversos modelos irreverentes. Tiras, texturas e cores adicionam o perfume do verão nos sapatos, adaptando o visual grunge à estação mais quente do ano.
Em total sintonia com a moda das ruas, as flatforms com a sola tratorada marcam presença na coleção. O destaque fica por conta das sandálias de tira larga, birken e mules com estampas de cobra metalizada.

O tratorado também aparece em sandálias de salto bloco. Os modelos são mega confortáveis e já viraram ícones entre as fashionistas de plantão. Para quem quer curtir um visual ainda mais casual, os chinelos slides são perfeitos e adicionam o toque descontraído ao look.

O metalizado prata e o branco imprimem o frescor da estação, além de serem modernos e em total sintonia com a tendência do momento. Para quem gosta de adicionar um toque de cor, o laranja e o pink se sobressaem.

Vale lembrar que todos os modelos da Dijean são super leves e macios, deixando as sandálias ainda mais práticas para o dia a dia.